Integralização do INPC parcelado até 2024 é a contraproposta do SINEPE para a Educação Superior

Na reunião desta semana da Câmara da Educação Superior, ocorrida nesta terça-feira (20/4), o SINEPE/RS apresentou como contraproposta aos sindicatos dos Técnicos e Administrativos a integralidade do INPC parcelado em quatro anos. Segundo a proposta, de setembro deste ano a fevereiro do ano que vem será pago um abono de 3,11% aos trabalhadores. A partir de março de 2022, há o acréscimo de 1%, reajustando os salários em 4,22%. Em março de 2023 e 2024, acréscimo de 1% a cada ano, totalizando os 6,22% de integralização do INPC acumulado no último período. 

Além das cláusulas econômicas, a patronal aceitou os quatro ajustes de redação indicados pelas entidades sindicais. Como contrapartida, foi solicitada revisão na cláusula do Adicional por Tempo de Serviço. 

Para as entidades sindicais, é um período muito longo complementar o INPC apenas em 2024. “Precisamos exaltar que chegamos ao entendimento que a integralidade do INPC se faz necessária. No primeiro momento, a proposta da patronal era de 0%. Porém, precisamos rever este prazo para o parcelamento”, afirmaram os trabalhadores. Em uma reunião mais rápida, os Técnicos e Administrativos pediram prazo para, até a próxima segunda-feira, enviar uma outra proposta para que seja avaliada pela patronal. Ainda, vão estudar outros pontos solicitados pelo SINEPE/RS, como o Adicional por Tempo de Serviço.  

#EducaçãoSuperior
#NegociaçãoColetiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *